Home Basquete Blumenau é exemplo de superação ao se classificar para a final da LBF

Blumenau é exemplo de superação ao se classificar para a final da LBF

Equipe catarinense passou por diversos desafios até chegar em decisão histórica

por Luiz Mendes
0

Classificação na prorrogação, dificuldades com W.O, perda de atletas por Covid-19, assim foi a emocionante e especial trajetória do KTO/Blumenau até ser a primeira equipe catarinense à chegar em uma final da Liga de Basquete Feminino (LBF). Antes mesmo de fazer história na competição, o KTO/Blumenau teve que superar barreiras e mostrar por qual motivo estava no campeonato. No último domingo (8), as meninas marcaram o nome da equipe catarinense na história ao vencer o Sampaio Basquete, em São Luis (MA), por 84 a 79 e fechar a série semifinal por 2 a 0.

Classificação na prorrogação

A classificação veio com emoção. Na prorrogação, após o time estar perdendo por 12 pontos de diferença no último quarto, o time do Vale conseguiu boa recuperação e triunfo nos últimos minutos com atuações importantes. A armadora Cacá jogou mais de 43 dos 45 minutos e terminou com 8 pontos e 10 assistências; Mariana Camargo e Leila Zabini saíram do banco para anotar 12 pontos cada; cinco atletas tiveram dois ou mais roubos de bola; mas a destaque mesmo foi a ala Vitória Marcelino, com 22 pontos e 8 rebotes.

“Estou extremamente feliz pela classificação na final, nosso time foi muito guerreiro, somos merecedoras. O time do Sampaio está de parabéns pelo campeonato, foi uma série dura e sabíamos disso. Agora é continuar trabalhando e focar na próxima, vai ser uma bela final”, comentou Marcelino, a MVP da partida.

Dificuldades, W.O e crescimento na hora certa

Chegar em uma final nunca é tarefa fácil, mas a temporada de Blumenau foi especialmente difícil e ao mesmo tempo especial. O time começou com o desafio de estabelecer uma nova metodologia e oscilou entre vitórias e derrotas nas primeiras rodadas. A missão ficou mais complicada após dois casos de Covid-19 no elenco, o time optou por não viajar para duas partidas e foi punido com o W.O. – um terceiro caso foi confirmado depois –, o que fez Blumenau perder de 2 a 4 pontos.

Os pontos e o saldo perdidos fizeram o time terminar em 7º na tabela mesmo com o quinto aproveitamento e o problema de saúde resultou em 37 dias sem atuar , atrapalhando no entrosamento. Após outra pausa longa – dessa vez em todo o campeonato devido à AmeriCup –, Blumenau fez uma maratona de seis jogos em 13 dias e teve boas atuações, apesar dos resultados oscilantes.

Se na fase de classificação, o máximo foram duas vitórias consecutivas, a sequência positiva veio mesmo nos playoffs. Na primeira rodada, as catarinenses tinham um desafio duríssimo contra o Sesi Araraquara , segundo colocado da primeira fase e que só perdeu o primeiro lugar na última rodada. Porém, a equipe venceu em casa e fora levando a série em 2 a 0 com defesa forte com muitos roubos de bola e bom volume com rebotes ofensivos e muitos pontos no garrafão.

Contra o Sampaio Basquete, terceiro colocado e atual campeão da competição, Blumenau fez jogos duríssimos, mantendo a forte defesa com saída rápida no contra-ataque e sendo decisiva em momentos importantes com duas vitórias definidas no detalhe: 65 a 63 no Jogo 1, em casa, e vitória na prorrogação na partida do último domingo (8).

Trabalho em equipe

Ao longo da campanha, sobretudo nas quatro vitórias dos playoffs, destacam-se a coletividade de uma rotação de dez atletas, os ajustes táticos e padrão de jogo cheio de movimentações definido pela comissão técnica comandada por João Camargo Neto e o bom trabalho físico que sustenta essa intensidade coordenado pela preparadora física Gabriela Maas. Com isso, Blumenau conseguiu encantar o país e ainda fazer história em Santa Catarina.

Todas as participações do Blumenau nas últimas cinco edições da LBF têm o apoio da Federação Catarinense de Basketball, em parceria com a Trimania, e fazem parte de um projeto de fortalecimento do basquete de base e também profissional. Em 2021, oito equipes catarinenses atuarão em ligas nacionais sendo uma na LBF, quatro no Campeonato Brasileiro Masculino e três no Feminino, todas com apoio da FCB e Trimania.

Fotos: Ronald Felipe/Sampaio Basquete