Home Colunas Coluna Personalidades do Esporte: Maurino Casagrande, conhecido como Cazão

Coluna Personalidades do Esporte: Maurino Casagrande, conhecido como Cazão

O entrevistado desta quinzena é Maurino Casagrande, conhecido como Cazão – filho de Ivo Casagrande e Alice Pacheco Casagrande; nascido em Brusque aos 27.01.56, vive em união estável com Rosana Heil; cinco filhos: Rodrigo, Andreize, Filipe, Mateus e Ivo Casagrande Neto. Ex- Diretor Administrativo e Financeiro da Fundação Municipal de Esportes. Torce para o Brusque, Palmeiras e Vasco da Gama.

por Luiz Gianesini
0

O entrevistado desta semana é Maurino Casagrande, conhecido como Cazão  – filho de Ivo Casagrande e Alice Pacheco Casagrande; nascido em Brusque aos 27.01.56, vive em união estável com Rosana Heil; cinco filhos: Rodrigo, Andreize, Filipe, Mateus e Ivo Casagrande Neto. Ex- Diretor Administrativo e Financeiro da Fundação Municipal de Esportes. Torce para o Brusque, Palmeiras e Vasco da Gama.

                                                          
 
Antes do Brusque torcias para o tricolor ou para o mais querido da Pedro Werner?

Antes eu era Paysanduano até embaixo d’água.
Como surgiu o apelido de Cazão?

Foi já na infância, os amigos começaram a chamar  de Cazão e ficou até hoje.

O que sonhavas ser quando criança?

Nasci no Maluche e vivi uns quatro anos na rua da Sociedade Beneficente, depois minha família mudou-se para a rua Nova Trento, onde vivi até aos 40 anos de idade e, naquela época de criança, qualquer lugar era bom para jogar uma bolinha, mas o meu sonho era ser motorista de caminhão.

Pessoas que te influenciaram?
Moram ainda na rua Nova Trento, alguns membros da família Sartori, que era uma família grande e tinha um genro da família que tinha um caminhão alfa-romeo; quando ele manobrava e estacionava eu achava aquilo o máximo, talvez essa influência que tive.

Primeiro/a professor/a?
Minha primeira professora foi Salete da Silva

Grandes professores?
Rocy da Luz (in memoriam), Benta Vanolli (in memoriam) e Dona Ivani ( Padre Lux)

Fale sobre sua atuação no esporte
Na juventude sempre joguei futebol. Atuei – em quase todas as equipes amadoras de Brusque – Cedrense, Floresta, Santa Luzia, Sete de Setembro (Zantão), São Paulo, Carlos Renaux, Brilhante, Boa Parada. Participei de inúmeros campeonatos na S.E. Bandeirante.Joquei por uns dez anos no veterano do Brusque e estou há 17 anos na Diretoria do Brusque F.C, aonde tive a satisfação de presidi-lo e 2002.

Em que posição atuavas?
Iniciei como zagueiro central e, no fina de carreira passei a atuar como centroavante.

Grandes dirigentes?
Zunino (Avai), Prisco Paraíso (Figueirense), Gerard Nelson Appel (Paysandu), João Paulo  Carlos Renaux).

Grandes treinadores?
A nível nacional: Muricy Ramalho, Felipão, Tele Santana (in memoriam), Vanderlei Luxemburgo e a nível local: Ernani Bela Cruz (Floresta) e Tekinha – o alfaiate (São Paulo-Rua Azambuja)

Grandes nomes no esporte em geral?
Zurico no basquetebol, Ricardo Vianna Hoffmann (dirigente do Brusque),  Danilo Rezini e o Boing no bolão –bola 16.

Grandes árbitros?
Oscar Roberto Godói e Arnaldo Cézar Coelho

O maior atleta que viste atuar?
airzinho, furacão da Copa de 70. Registre-se que tive oportunidade de atuar contra ele, no futebol soçaite, no Rio de Janeiro.

 Grandes atletas que viste atuar?
A nível nacional e internacional:  Edson Arantes do Nascimento, popular Pelé, Ademir da Guia, Messi, Kaka, Neyma; a nível local: Ziza, Toninho Sestren, Ayone, Beto Casagrande entre outros.

 Qual a melhor partida que assististe, indo ao campo ?
Foi a final do Catarinense entre Avai e Chapecoense em Florianópolis.

Teria lugar para o C. A. Carlos Renaux e para o C.E. Paysandu?
O futebol profissional, hoje, ficou muito caro. Para montar uma estrutura com alojamento, alimentação, documentação de atletas, viagens, arbitragens, cozinheiras, plantel, comissão técnica e outros…. Agora, vejam minha opinião, deveria sim haver uma união saudável entre as diretorias, aí sim. Um faz o social, o outro, a base e o outro o profissional. Com certeza, seríamos fortes para poder pensar num campeonato brasileiro, já que o nosso Prefeito Paulo Roberto Eccel está certo de que vai sair a Vila Olímpica.]