Home Artes Marciais Paratleta de Navegantes pré-convocado para Seleção de Handebol

Paratleta de Navegantes pré-convocado para Seleção de Handebol

Igor pratica paradesporto há 15 anos e se destaca no basquete, handebol e jiu-jitsu

por Álvaro José
0

Igor Luiz da Costa de 27 anos é exemplo de superação. Natural de Ibirubá, cidade gaúcha que fica a 290 quilômetros de Porto Alegre, Igor reside há quatro anos em Santa Catarina. Ele é portador de uma deficiência, desde o nascimento, conhecida como mielomeningocele, que é uma má formação da coluna vertebral. Hoje, aos 27 anos, ele se destaca no jiu-jitsu e está entre os pré-convocados para a Seleção Brasileira de Handebol.

O primeiro contato de Igor com o esporte foi aos 12 anos. Ele se destacou em várias cidades gaúchas até chegar a Santa Cataria. Após algumas conquistas chegou à Seleção Brasileira e agora espera a lista final dos 12 convocados.

Entre os 20 melhores do Brasil

Igor se destacou durante o Campeonato Brasileiro de Handebol de 2019. Na ocasião conquistou o vice-campeonato brasileiro com a equipe do Instituto Catarinense de Esportes para Deficientes (ICED), de Balneário Camboriú. Atualmente está entre os 20 melhores paratletas da modalidade e pré-selecionado para a Seleção Brasileira. A lista final contará com 12 jogadores que farão parte da equipe nas próximas competições. O handebol em cadeira de rodas não é uma modalidade paraolímpica e as competições estão paradas devido à pandemia.

 O gaúcho tem no currículo, também pela equipe de Balneário Camboriú, vice-campeonato do Parajasc em 2018 e 2019. Ele comenta sobre o fato de estar entre os 20 melhores do país. “Estou na suplência e aguardo a lista final de convocados para o mundial. Serão 12 atletas selecionados. Ainda não temos nada definido. Não sabemos se a competição será no Brasil ou no exterior. Estamos aguardando os próximos meses”, relata.

Começo no basquete

O primeiro esporte praticado por Igor foi o basquete para cadeirantes, aos 12 anos. A convite de um professor ele começou a jogar basquete sobre rodas em Carazinho ,no Rio Grande do Sul. No esporte, em 2017, conquistou o terceiro lugar no campeonato estadual de Santa Catarina. Igor era atleta da Associação de Apoio às Famílias de Deficientes Físicos (AFADEFI).

Igor começou no basquete. Foto: Arquivo pessoal.

 Jiu-Jitsu deu novo rumo ao atleta

Mesmo com destaque nos esportes coletivos, foi no jiu-jitsu que o atleta se redescobriu. Há dois anos e cinco meses Igor pratica o esporte que, para ele, tem superado as expectativas. “Um dia estava indo para a academia e vi pessoas na prática de artes marciais e me chamou a atenção. Com isso aceitei o desafio de encarar mais uma modalidade. Depois que entrei fui gostando cada vez mais”, comenta.

Sobre as expectativas para o futuro, o atleta demonstra interesse também em ajudar outras pessoas. “Quero me preparar para entrar em competições. Sei que ainda é um começo, mas também gosto de motivar outras pessoas a não desistir e a fazerem o melhor para si”, finaliza.

Igor quer participar de competições de jiu-jitsu. Foto: Arquivo pessoal