Home Futsal Projeto social de equipe de futsal feminino de Lages é referência no estado e atende 400 crianças

Projeto social de equipe de futsal feminino de Lages é referência no estado e atende 400 crianças

Escola de Leoas é um exemplo de inclusão social e tem a missão de levar o futsal feminino à comunidade

por Lúcia Chaves
0

Hoje com aproximadamente 400 meninas beneficiadas, o projeto Escola de Leoas é um exemplo de inclusão social. Ele nasceu com o intuito de realizar sonhos, revelar talentos, combater a evasão escolar e incentivar o empoderamento feminino para Lages e região.

A iniciativa começou em 2015, com a importante missão de levar o futsal feminino à comunidade, estimulando a prática social e esportiva, assim divulgando a categoria. No início, havia apenas um polo, mas o público aderiu tão rápido a ideia que, de 20 meninas, o projeto logo passou a atender 90. Então, foi preciso ampliar o número de polos na cidade. As atletas são quem ministram as aulas de futsal gratuitamente para garotas entre 5 e 17 anos.

A Escola de Leoas é um investimento feito para o futuro da categoria. A base é a nova geração do esporte, sem ela é praticamente impossível dar continuidade nos trabalhos da modalidade. Um exemplo da força das escolinhas é Millena Borssatto. A goleira entrou no projeto em 2015, no primeiro polo. Hoje com 18 anos, integra o grupo profissional do Leoas da Serra.

O futebol feminino é uma modalidade esportiva que luta pela sobrevivência, enfrenta preconceitos, menosprezo e pouca atenção. Mas já mostrou a qualidade que tem e onde deseja chegar. O projeto não quer apenas aproveitar as oportunidades existentes, mas multiplicá-las.

O futebol feminino é uma modalidade esportiva que luta pela sobrevivência, enfrenta preconceitos, menosprezo e pouca atenção

Segundo a coordenadora da iniciativa, Izabelly Woellner, a Bebel, este ano serão cinco polos em escolas espalhadas pela cidade de Lages e outro em Anita Garibaldi. No total, serão 250 meninas atendidas.

Por conta da pandemia do novo coranavírus, os treinos não ocorreram de forma presencial no ano passado, porém foram preparados para as atletas 20 treinos básicos e adaptativos para serem realizados em casa. As atividades foram divulgados no instagram da Escola de Leoas. “As expectativas para esse ano são muito boas. Acreditamos que poderemos voltar presencialmente, tomando as devidas precauções, evitando muito contato no início e fazendo treinos mais adaptados para que as meninas consigam realizá-los”, comenta Bebel.

Os treinos devem voltar presencialmente no próximo mês e serão realizados sempre no contraturno das aulas, uma vez por semana, para atender ao máximo de alunas. “Devido a pandemia no ano de 2020 e ainda inserida na sociedade brasileira, decidimos diminuir o número de alunas por polo. Porém, isso não justifica a falta de treinamento, pois o mesmo ocorrerá agora com a volta às aulas. A ideia é começar na primeira semana de março”, explica.

Para entrar no projeto, basta que as interessadas tenham entre 5 e 17 anos, estejam inseridas em alguma rede de ensino e procurem o polo mais próximo. Em 2016, para a manutenção do projeto, o Ministério do Esporte aprovou o projeto Escola de Leoas que permite a busca de recursos pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte. Pessoas físicas podem doar 6% do Imposto de Renda e as empresas tributadas por Lucro Real até 1%.

Em 2016, para a manutenção do projeto, o Ministério do Esporte aprovou o projeto Escola de Leoas que permite a busca recursos pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte. Pessoas físicas podem doar 6% do Imposto de Renda e as empresas tributadas por Lucro Real até 1%.

Fotos: Fom Conradi/EsporteSC Lages