Home Brusque Série brusquenses nas Olímpiadas: Schwanke, do Bandeirante para os Jogos Olímpicos

Série brusquenses nas Olímpiadas: Schwanke, do Bandeirante para os Jogos Olímpicos

Auxiliar técnico da seleção brasileira de vôlei masculino estará em Tóquio

por Álvaro José
0

Carlos Eduardo Schwanke, 47 anos, é um nome conhecido no voleibol nacional. Nascido em Brusque, em 5 de maio de 1974, Schwanke fez sucesso e ganhou notoriedade internacional que o levou à seleção brasileira. Esteve nas Olimpíadas de Atlanta em 1996 onde o Brasil ficou com o quinto lugar. Em 2021, assumiu como técnico da seleção brasileira de vôlei masculino durante a Liga das Nações. Ele substituiu Renan Dal Zotto, que estava internado, após ser diagnosticado com Covid-19. 

 Início no Bandeirante

Schwanke começou a carreira nas equipes de base da Sociedade Esportiva Bandeirante, em 1986. O brusquense passou por diversos clubes do Brasil e do mundo. Pela equipe nacional foram 8 anos. No currículo, com a camisa amarelinha, são duas medalhas na Liga Mundial.  Bronze em 1994 em Milão e prata em 1995 no Rio de Janeiro.

Clique aqui e entre no grupo de notícias do EsporteSC

Nas categorias de base da seleção, Schwanke também se destacou. Faturou o ouro no Mundial de Portugal em 1991 pela categoria Infanto-Juvenil, ouro no Campeonato Sul-Americano Juvenil de 1992 no Equador e ouro no Mundial Juvenil de 1996 na Argentina.

Notoriedade mundial

As lesões no joelho forçaram o atleta a encerrar a carreira em 2007 com a equipe da On Line São Leopoldo. Schwanke cursou educação física de olho na carreira de Técnico. A postura em quadra e o histórico de liderança credenciaram o brusquense para ser Auxiliar Técnico. A primeira oportunidade veio na equipe da Cimed/Florianópolis. Por lá conquistou três títulos nacionais, de 2007 a 2010, além do   Sul-Americano de clubes.

Em 2011 o trabalho como técnico ganhou a Europa. O catarinense chegou à Suíça onde treinou a equipe do Amrsvill na temporada 2011/12. Schwanke conquistou o ouro na Copa da Suíça. O sucesso foi reconhecido também em outros continentes. O Dar Kulaib no Bahrein e Seleção do Bahrein seriam os próximos desafios. No Catar o técnico também fez história. Foram 12 títulos, em Doha, com o Al Rayyan. A equipe ficou conhecida como uma das melhores do continente asiático. Atualmente Schwanke treina a equipe Qatar Sport Club e é auxiliar técnico da seleção brasileira de vôlei masculino. Ele estará presente nas Olimpíadas de Tóquio 2021, oportunidade em que o Brasil tenta a quarta medalha de ouro.

Foto: Divulgação