Home ColunasAndreia Borssatto Coluna de Andreia Borssato: A primeira mulher brasileira a participar de uma olimpíada

Coluna de Andreia Borssato: A primeira mulher brasileira a participar de uma olimpíada

Maria Emma Hulga Lenk Zigler, ou Maria Lenk, a primeira mulher brasileira a participar de uma Olimpíada

por Andreia Borssatto
0

A minha inspiração para o texto dessa semana nasceu enquanto assistia ao jogo de Futsal entre Leoas da Serra (equipe de SC) e Taboão da Serra (equipe de SP) no final da manhã de sábado, 15/05. Sempre fui apaixonado por esportes, e por tudo que os envolve. E ao vislumbrar tanta beleza unida a muita garra e determinação em quadra, veio em mente o tema “As MULHERES do Esporte!

Como estou trazendo semanalmente fatos relacionados aos Jogos Olímpicos, vou lhes contar sobre uma MULHER do Esporte brasileiro que fez história e serviu de inspiração para tantas outras atletas desse nosso amado Brasil.

Trata-se de Maria Emma Hulga Lenk Zigler, ou Maria Lenk, como ficou mundialmente conhecida a primeira mulher brasileira a participar de uma Olimpíada.

Filha de imigrantes alemães, nasceu em São Paulo no dia 15 de janeiro de 1915. E foi para ajudar no tratamento de uma pneumonia que, aos 10 anos de idade, Maria Lenk deu suas primeiras braçadas rumo a uma linda e inspiradora carreira como nadadora. Na época, em São Paulo, onde morava, ainda não tinha piscinas nos clubes. Mesmo assim, acreditando que a natação seria importante no restabelecimento da saúde de sua filha, seus pais a matricularam na aula de natação que era ministrada no rio Tietê, que na época não era poluído e em seu leito era possível também banho recreativo e a prática do remo.

Por ser extremamente talentosa, logo começou a competir participando de provas em mar aberto e aos 16 anos já competia em nível internacional. E em 1932 foi a primeira mulher sul-americana a competir numa Olimpíada, nos Jogos de Los Angeles. Também participou das Olimpíadas de Berlim, em 1936. E quando se preparava para os jogos de Tóquio em 1939, quebrou dois recordes mundiais individuais, nos 200m e 400m nado peito. Ela era a grande favorita para ganhar a primeira medalha de ouro olímpica de mulheres brasileiras em esportes individuais. Porém, em virtude da Segunda Guerra Mundial as Olimpíadas de 1940 tiveram de ser interrompidas.

 No início dos anos 40 compôs a delegação de nadadores sul-americanos que excursionou pelos Estados Unidos onde quebrou 12 recordes norte-americanos e aproveitou a oportunidade para concluir o curso de educação física na universidade Illinois em Springfield.
Retorno no Brasil ajudou a fundar a escola nacional de educação física na universidade do Brasil que hoje é a UFRJ. Também tornou-se membro vitalício da sociedade americana de técnicos de natação.

Em 1988, Maria Lenk foi a primeira brasileira  a entrar para o International Swimming Hall of Fame.

Em Agosto de 2000 ela conquistou cinco medalhas de ouro no campeonato mundial da categoria 85/90 anos. Foi sua última competição internacional.

2007 foi homenageada pela prefeitura do Rio de Janeiro que batizou de Maria Lenk o Parque Aquático do Jogos Pan-americanos.

Ela nadou até os últimos dias de sua vida. Faleceu aos 92 anos, por parada cardiorrespiratória, após exercitar-se na piscina do Clube de Regatas Flamengo, clube onde foi atleta e que  a ajudou a conquistar muitas medalhas na modalidade que amava.

ANDREIA BORSSATTO

Andreia Munalli Pereira Borssatto têm 43 anos e é natural de Rio Negro PR. É Formada em Educação Física pela UFSC e Profissional de Educação Física há 22 anos. Atualmente é professora e coordenadora do Curso de Educação Física da Uniplac e Mestranda do programa Ambiente e Saúde da Uniplac.

esportesclages.com.br