Home ColunasAndreia Borssatto Na coluna de Andreia Borsatto, conheça mais sobre a origem do “TACO’

Na coluna de Andreia Borsatto, conheça mais sobre a origem do “TACO’

Esporte é ideal para se jogar em família

por Andreia Borssatto
0

Coluna: Fatos e Curiosidades – Série Origem Brasileira

O jogo de Taco, muito praticado no Brasil, principalmente por crianças e adolescentes, também é conhecido como Bete, Betia, Tacobol, Bete-Ombro e Bets, dependendo da região do país. É um esporte inspirado no esporte inglês “Cricket”. Sua origem tem algumas versões, sendo que a principal relata que o jogo foi criada por jangadeiros brasileiros no século XIX. Uma outra versão diz que jogo de beisebol americano se originou do jogo de taco brasileiro, apesar dos americanos defenderem o contrário.

Apesar de ser muito praticado com finalidade recreativa em todo território brasileiro, os Estados do Paraná, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal e São Paulo são os que mais incentivam a prática do Taco como esporte de competição. Muitos festivais, torneios e campeonatos já foram realizados em várias cidades desses Estados, nas categorias masculina, feminina e mista.

A cidade de Curitiba sediou quatro edições do Campeonato Mundial de Bets. A primeira foi em 2015, as duas seguintes em 2016 e a quarta edição aconteceu em 2017. A quinta edição do evento prevista para 2018 na cidade paranaense de Pinhalão não foi aconteceu… Esta edição estava sendo preparada para maio do ano passado, novamente em Curitiba, mas por causa da pandemia da Covid-19 também não se concretizou. Os organizadores estão otimistas para que neste ano, depois de três anos sem o mundial, ele possa se realizar.

O Taco é um jogo praticado principalmente nas ruas e conta com inúmeras variações nas regras, de acordo com cada região do país. Não existe tamanho padrão para o campo de jogo e o terreno para a prática do esporte pode ser de grama, asfalto ou areia. Para a realização de uma partida de Taco são necessários 4 jogadores divididos em duas duplas, uma “casinha”, uma bola pequena de borracha e uma barra de giz ou toco de madeira para demarcar o chão. O objetivo principal do jogo é  trocar de base cruzando os tacos na metade do campo, o que equivale a marcar ponto. A dupla que começa a partida com o taco em mãos inicia com vantagem! A dupla que inicia com a bolinha, tem a missão de conquistar o taco derrubando a casinha do adversário e somente depois passará a acumular pontos.

Veja a seguir as principais regras:

– A dupla que inicia a partida de posse do Taco é chamada de “rebatedores”, a outra dupla que inicia com a Bola, é denominada “lançadores”.

– A dupla de lançadores tem por objetivo derrubar o alvo do lado oposto do campo através do lançamento da bola.

– A dupla de rebatedores procura defender o alvo dos arremessos adversários, podendo rebater a bola o mais longe possível.

– Quando a bola é rebatida, um dos arremessadores devem pegar a bola e voltar para trás do alvo, continuando o jogo.

– Durante o tempo em que a dupla de lançadores corre atrás da bola, a dupla de rebatedores pode alternar de lado no campo, batendo os tacos no meio da quadra, para marcar o ponto, e encostando o taco na base oposta.

– Este processo pode se repetir até que um arremessador volte para trás do alvo com a bola.

– A dupla de rebatedores procura defender o alvo dos arremessos adversários, podendo rebater a bola o mais longe possível.

– Quando a bola é rebatida, um dos arremessadores devem pegar a bola e voltar para trás do alvo, continuando o jogo.

– Durante o tempo em que a dupla de lançadores corre atrás da bola, a dupla de rebatedores pode alternar de lado no campo, batendo os tacos no meio da quadra, para marcar o ponto, e encostando o taco na base oposta.

– Este processo pode se repetir até que um arremessador volte para trás do alvo com a bola.

– Se os lançadores chegarem antes dos rebatedores na base, podem tentar atingir o alvo com a bola.

rebatedores, conquistando os tacos e a oportunidade de pontuar, e os rebatedores tornam-se lançadores.

– O jogo termina quando uma das duplas conseguir marcar um determinado número de pontos, e cruzar os tacos no meio do campo.

– A contagem final é geralmente de 10 pontos. Dependendo da região do país cada ponto equivale a 2 ou 10 pontos e a pontuação necessária para a vitória sobe para 12, 24 ou até 100 pontos.

– Devido à regionalidade, alguns termos são utilizados em determinadas situações do jogo. Os mais conhecidos são: “seco ou molhado”, para quem começa com o taco; “pra trás”, quando a bolinha encostar no taco e for para trás do círculo do rebatedor; “tempo a dois”, utilizada quando há necessidade de pausar o jogo e “vitória 1,2,3” quando um dos arremessadores consegue apanhar a bola rebatida no ar e conquista os tacos.

A prática regular do Taco é excelente para a socialização; proporciona aos jogadores a queima de cerca de 400 calorias por hora; trabalha grupos musculares do abdômen, peitoral, braços, antebraços e pernas e auxilia no desenvolvimento de habilidades de deslocamento, manipulação, noção de tempo-espaço, coordenação motora, flexibilidade, força e agilidade.

Creio que muitos de vocês já se divertiram praticando esse esporte de forma descontraída com amigos ou familiares! Em breve, depois que essa pandemia estiver controlada, o que acham de termos um Festival de Taco em nosso município? Um evento para confraternizar, praticar exercícios físicos, reviver momentos incríveis da infância e adolescência da maioria dos brasileiros e celebrar novos tempos que estão por vir!?! 

Grande abraço! E até o próximo final de semana…

Sobre a colunista

Andreia Munalli Pereira Borssatto têm 43 anos e é natural de Rio Negro PR. É Formada em Educação Física pela UFSC e Profissional de Educação Física há 22 anos. Atualmente é professora e coordenadora do Curso de Educação Física da Uniplac e Mestranda do programa Ambiente e Saúde da Uniplac. Ela escreve em EsporteSC sempre aos sábados

Foto: mulekderua