Home Brusque Na coluna de Wiliam Todt: “O treinamento de força na infância”

Na coluna de Wiliam Todt: “O treinamento de força na infância”

A capacidade de gerar força é presente na vida da criança de forma natural desde o nascimento

por Luiz Mendes
0

Começo com os seguintes questionamentos acerca dos pais que tem filhos a partir dos 8 anos (terceira infância). Criança pode treinar força? Meu filho(a), pode fazer academia? Essas e outras perguntas chegam até nós, profissionais de Educação Física com maior frequência, uma vez que há uma certa preocupação em saber se realmente a prática do treinamento de força é viável e seguro em idades menores.

Sim, criança pode treinar força. Mas depende de como essa aplicação será realizada. Vamos entender abaixo a partir das fases de desenvolvimento infantil, segundo Piaget.

A capacidade de gerar força é presente na vida da criança de forma natural desde o seu nascimento. Um gesto comum é o ato de segurar a mão dos pais, fazer um rolamento, jogar um brinquedo no chão. Essa fase, dos 0 aos 2 anos é denominada de sensório-motor.

No ambiente de academias, para que a criança receba a orientação adequada, não basta aplicar apenas o que é lúdico e/ou recreativo, embora importante para cativar a criança. Estabelecer pequenas tarefas, a partir da utilização do espaço e próprio corpo é uma alternativa. Da fase 2 para 3, pré operatório ao operacional concreto, a criança começa a resolver problemas. Neste caso, trabalhar a imaginação é parte do processo de desenvolvimento. Levar a criança a refletir sobre o que ela quer ser quando crescer pode ser um estímulo na aplicação do treinamento.

A partir dos 12 anos, é a fase dos conceitos, chamada de operacional formal. Para convencer a criança o desafio é maior, pois em alguns casos é necessário justificativas conceituais. Quando inserida numa cultura de movimento nas fases anteriores, neste momento, a criança deve ter mais autonomia, compreender os limites na área de treino, mas sempre supervisionada. Em relação a carga de treinamento e seleção dos exercícios, seriam os multiarticulares os mais utilizados, bem como os agachamentos, remadas, levantamento terra entre outros.

Você pai ou mãe, não basta matricular o seu filho(a) numa modalidade esportiva, mas especialmente, conhecer a metodologia aplicada, as avaliações periódicas acerca do desenvolvimento da criança.

SEJA FORTE!

Foto: Divulgação

Sobre o colunista

Wiliam Todt é proprietário da Academia WT Energy, em Brusque e referência em preparação física na cidade.